Análise - Manicomializações e Pandemia: as Instituições Psiquiátricas no contexto do COVID-19

Em uma análise muito importante sobre as instituições psiquiátricas no contexto do COVID-19, Melissa Oliveira Pereira (Mestre e Doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca ENSP/Fiocruz) pondera que, ao lado de todas as problemáticas envolvidas no asilamento enquanto estratégia de atenção em saúde mental, somam-se, no momento atual, os riscos à contaminação por COVID-19. Melissa, ao final de suas reflexões, nos instiga a pensar "se em nosso país, quem mais morre de COVID-19 são os homens pobres e negros, não coincidentemente são estes os mesmos que são maioria nas instituições psiquiátricas como hospitais (BARROS et al, 2020) ou Comunidades Terapêuticas (IPEA, 2017), e que passam a estar mais expostos aos surtos virais e ao aprofundamento dos asilamentos e isolamentos de manicômios ainda mais duros e severos em tempos de pandemia. Corona vírus e medicalização acabam por formar uma, dentre tantas outras, duplas de sustentação de genocídio da população negra e mais pauperizada, devendo a saúde mental estar atenta para a rigorosidade das violências nos momentos atuais, fazendo-se urgente a adoção de medidas em atenção psicossocial fortes e adaptáveis e que se voltem para os territórios e suas realidades na evitação dos asilamentos psiquiátricos".

O artigo pode ser lido na íntegra no site do Mad In Brasil - Ciência, Psiquiatria e Justiça Social, através do link: https://madinbrasil.org/2020/07/manicomializacoes-e-pandemia-as-instituicoes-psiquiatricas-no-contexto-do-covid-19/?fbclid=IwAR2Ow7672s-Wf8LWu67vZ4sm0eFX8s3r5pqpWrrLUd3_cH4uUbjIfW-MiGI

Imagem retirada da matéria citada.


40 visualizações0 comentário